É Urgente

Photobucket - Video and Image Hosting

Foto tirada em Léça da Palmeira  
   
É URGENTE
 
Escrever um poema
Nas ondas para que
Elas o façam, vaga a vaga.
Ler ao mundo
Sedento de Amor.
É urgente
Que o poema chegue
Até toda a gente…
Dos marinheiros
Mulatos (as) nas senzalas
Carregadores de sonhos
Moribundos da dor
Doentes na infelicidade
Pescadores mineiros
Áqueles que combatem
Sem e nem porquê…
Porque caem
Como folhas de Outono
Antecipando Invernos tristes
Há chegada da Primavera
– uma volta sem-fim
Na roda da Vida
Esperança amarga
Da perfeição medíocre
A que o homem
Vaidosamente chama civilização
É urgente
A coragem de modificar
As linhas gastas
Em vozes dispersas
Que o egoísmo disfarça
…Urgente é
Um acordo entre o homem
Pó e o ser imortal.
Na estreita porta da Vida
Aguardo as frases
Do poema; todos o havemos
De escrever um dia
E amanhã o vamos
Declamar em voz
De ternura ás gerações
Lactentes de paz.
É urgente
Também a dor
O tratado divino
Do ser com a forma
Altruísta
Do não ser
Na procura incessante
De um bálsamo
Redentor…
Por gestos e desejos
Arruinados de morte.
É urgente
Que eu acorde
E te chame
Para unidos com o mundo
Levarmos uma
Letra do poema
Da vida
A cada ser
Que encontrarmos.
Seria maravilhoso
Cada um de nós
Ter uma palavra
Do poema
Na curta existência
Ilusória de palavras
Também
É importante que eu não
Acabe com as frases
Ocultas de mim…
Vagueando por estações
Incompletas

(Joaquim Carlos)
 

3 thoughts on “É Urgente

  1. Hola Kim, algunas palabras del poema no puedo entenderlas,  pero las q puedo leer y puedo decirte q me gusta lo q escribes. la imagen es preciosa.
     
     Feliz domingo amigo y un abrazo,
                       Mar @)-9—-

  2. ….. é urgente que eu nao acabe com as frases ocultas de mim…Vagueando por estações incompletas.È o máximo este poema….parabéns.

  3. …não sei que diamantete espalhoue em que berço minha almase debruçouse tudelírio branco do pensamentocom asas livres sempreem movimentogeras a primaverae dás existência à utopiaaos jardins lúcidos ou de loucuraonde floresce a herade verdes braços estendidosà luz do diacomo bocas à procurade beijos permitidosna ondulação do vento.serás tu uma candeia acessa sempre a ardera luz que docemente se levanta ao céupara as estrelas desprendere regressar no sol do alvorecer?(in) antologia DEZSETE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s